cabedelo
surfsurfespacoondasmares

ptenfrdees
Natureza
Natureza
Natureza
Arte
Desporto
Desporto
Cultura
Internet Marketing Bruidsfotograaf

Caderno Municipal 53, uma publicação com valor ímpar.

2019 09 caderno53

 

A Casa do Paço foi o local escolhido para acolher, na passada sexta-feira, 20 de setembro - dia em que se assinalou o 137º aniversário da elevação da Figueira da Foz a cidade, a sessão de lançamento e apresentação do caderno municipal 53 “II Encontros de Cultura e Património da Figueira da Foz | A Visita Real de 1882”, a qual foi animada pelo Grupo de Teatro Amador “As Personagens”, que protagonizou alguns momentos dramatizados, que recriaram a visita do rei D. Luís I e da rainha D. Maria Pia de Saboia, a 3 de agosto de 1882, para inauguração da Linha da Beira Alta.

A animação musical esteve a cargo da Filarmónica Figueirense, que interpretou, no jardim da Casa do Paço, o Hino oficial da rainha D. Maria Pia, da autoria de António d´Almeida e Mello. Já no interior do edifício, os presentes ouviram a marcha “A Inauguração- Grande Marcha Triunfal”, composta em 1882 para a inauguração da Linha da Beira Alta, pelo maestro José Augusto Ferreira da Silva, e resgatada dos arquivos da Sociedade Filarmónica, para esta ocasião. A participação graciosa da Filarmónica foi encerrada com a parte final de um dos seus temas emblemáticos “Recordações da Figueira”, da autoria do seu antigo Maestro António Campo, uma coletânea de temas figueirenses de várias épocas, que culminam com a “Marcha do Vapor”.

A sessão contou com a presença do vereador Nuno Gonçalves, que ressalvou a importância dos cadernos municipais, pelo seu contributo para a valorização da nossa histórica, numa “produção coerente e temática de cada edição”, através da Divisão de Cultura, pois “só entendemos a nossa história se a conhecermos e por isso esta publicação tem um valor ímpar”. 

Destacando a importância da inauguração da linha da Beira Alta para o desenvolvimento da cidade e da região, Nuno Gonçalves referiu que o local e a data escolhidos para a apresentação deste caderno municipal foi intencional, pois foi na Casa do Paço, 3 de agosto de 1882, que sua majestade o rei D. Luís anunciou a elevação da Figueira da Foz a cidade.

A apresentação do caderno municipal, resultante do encontro científico organizado pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, em setembro de 2018, integrado na programação do Ano Europeu do Património Cultural e das Jornadas Europeias do Património, coube à Professora Doutora Irene Vaquinhas, da Universidade de Coimbra. Irene Vaquinhas expressou o seu apreço “pelo trabalho de divulgação e de salvaguardada história e património locais”, que é feito pela autarquia da Figueira da Foz, “sempre numa perspetiva de interesse local e nacional.”.

A investigadora referiu que “este livro constitui mais um testemunho do investimento do Município na extensão cultural e na promoção e divulgação científicas e, muito em particular, do conhecimento histórico e na preservação da memória identitária da cidade.” Salientou também a importância da inauguração da linha férrea para o desenvolvimento da cidade, a qual “contribuiu para colocar a cidade no mapa da europa, com um aumento do turismo sem par, bem como, para a elevação a cidade”.

Irene Vaquinhas realizou uma apresentação sintética de cada um dos onze artigos que constituem esta publicação, “numa obra de leitura fácil, que importa a todos os que se interessam pela história”.

De salientar que o caderno municipal, que se encontrará à venda nos equipamentos culturais municipais, por 10€, reúne artigos de onze investigadores: Ana Marques Pereira, Bruno Sampaio Lobo, Carlos Eduardo Batista, Francisco José Cruz Velho da Costa, Guida Cândido, Hugo Silveira Pereira, Inês Pinto, Irene Vaquinhas, Isabel Drumond Braga, Paulo Jorge Fernandes e Ricardo Manuel Santos.

Copyright © 2014 Município da Figueira da Foz | Desenvolvimento WRC | Design Sigyn |