cabedelo
surfsurfespacoondasmares

ptenfrdees
Arte
Desporto
Desporto
Cultura
Natureza
Natureza
Natureza
Internet Marketing Bruidsfotograaf

I Jornadas sobre Parentalidade da Figueira da Foz: «Cabe a todos, pais, famílias e sistema, assegurar a felicidade intrínseca da criança»

2018 02 02 parentalidade

Decorreu esta sexta feira, 2 de fevereiro de 2018, com 800 inscrições, no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz (CAE) as I Jornadas sobre Parentalidade da Figueira da Foz - Evoluir do Conflito Parental para a Coparentalidade.

Na sessão oficial de abertura, o Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, João Ataíde, sublinhou «a atualidade e interesse suscitado pelo tema», congratulando-se pela realização, na Figueira da Foz e numa iniciativa de instituições da Figueira da Foz, de um evento que se traduziu numa «sala completa», mormente de mais de 600 técnicos e juristas de todo o país, a quem cabe solucionar conflitos relacionados com a parentalidade, «uma das mais difíceis missões, até porque deixa sempre um certo amargo, porque o ideal é que exista sempre harmonia… mas nem sempre assim é, e cabe a todos, pais, famílias e sistema, assegurar a felicidade intrínseca da criança».

Com organização conjunta da Câmara Municipal da Figueira da Foz, da ASOS – Associação Soltar os Sentidos, da Casa Nossa Senhora do Rosário, da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens da Figueira da Foz, da EAPN - Núcleo Distrital de Coimbra e da Ordem dos Advogados - Delegação da Figueira da Foz, as  I Jornadas sobre Parentalidade da Figueira da Foz - Evoluir do Conflito Parental para a Coparentalidade resultam de um desafio lançado por algumas destas entidades, que detetaram a necessidade um evento com uma abordagem interdisciplinar no âmbito da parentalidade, com especialistas das áreas da Ação Social, Direito, Sociologia e  Psicologia, entre outros.

Os trabalhos decorreram entre as 9h30 e as 17h30, com painéis dedicados à «Coparentalidade e Parentalidade Positiva»; «Responsabilidades Parentais»; «Alienação Parental» e «Resolução de Conflitos e Mediação Familiar».  A necessidade do reforço da mediação familiar, o enfoque na redução do stresse familiar e na reeducação dos pais, aquando da regulação das responsabilidades parentais, alertando-os para as consequências negativas do conflito parental sobre os seus filhos, e ajudando-os a transitar do ‘casal extinto’ para o ‘casal parental’, foram algumas das conclusões dos trabalhos.

Copyright © 2014 Município da Figueira da Foz | Desenvolvimento WRC | Design Sigyn |