cabedelo
surfsurfespacoondasmares

ptenfrdees
Natureza
Desporto
Natureza
Cultura
Natureza
Arte
Desporto
Internet Marketing Bruidsfotograaf

5as - Leitura

 

 

NAS PRÓXIMAS 5AS DA LEITURA

 









2019 04 5as

As 5as de Leitura chegaram à Figueira da Foz em 2009, no âmbito de um projeto dinamizado pela Biblioteca Municipal, com o apoio do Programa Gulbenkian da Língua Portuguesa, da Fundação Calouste Gulbenkian. Ao longo de oito anos, passaram por estas sessões, realizadas habitualmente nas noites de quinta feira, cerca de oito dezenas de autores, criadores, jornalistas e pensadores com obra publicada, dos mais conhecidos - como José Jorge Letria, António Barreto, Jacinto Lucas Pires, Lídia Jorge, Mário Zambujal, António Vitorino d’Almeida, Francisco Moita Flores, Valter Hugo Mãe, Leonor Xavier, Afonso Cruz, Fernando Dacosta, Gonçalo M. Tavares, Luís Miguel Rocha, Eduardo Lourenço, Irene Pimentel, António Mega Ferreira, Mia Couto, Manuel António Pina, José Eduardo Agualusa, Nuno Camarneiro, João Tordo, Rui Vilar, Daniel Sampaio, José-Augusto França, Maria Teresa Horta, Cesário Borga, Freitas do Amaral, Inês Pedrosa, Maria do Rosário Pedreira, Nuno Júdice, Rui Reininho, Alice Vieira, Alexandra Lucas Coelho, Eduardo Pitta, Guilherme d’Oliveira Martins, Luísa Costa Gomes, Domingos Amaral, Júlio Machado Vaz e Juan José Millás, Manuel Alberto Valente, Pedro Mexia, Patrícia Reis, Maria Manuel Vilhena, Rita Ferro, Ricardo Araújo Pereira entre outros - a escritores estreantes, vencedores de prémios literários, locais e nacionais.

Em 2017, já passaram pelas 5as de Leitura os autores João Ricardo Pedro, com «O teu rosto será o último» e «Um postal de Detroit»; Luísa Schmidt com «Portugal: Ambientes de Mudança»; Teolinda Gersão e Francisco Simões, a propósito da exposição da obra do escultor e do livro «Anjas do Nosso Mundo»; ONDJAKI e Júlio de Almeida com, respetivamente, as obras «O CONVIDADOR DE PIRILAMPOS» e "Vacondeus, SARL"; Pepetela com  «Se o Passado Não Tivesse Asas»; Paulo M. Morais, com «Uma Parte Errada de Mim» e Isabel Rio Novo, com o romance «Rio do Esquecimento»;  Onésimo Teotónio Almeida com "A obsessão da portugalidade"; Almeida Faria com «O Conquistador»; Gonçalo Cadilhe, desta feita «Nos Passos de Santo António»; e Rodrigo Guedes de Carvalho e «O Pianista de Hotel».

Ao longo dos anos, a informalidade das conversas com os autores, quase sempre no espaço intimista da Biblioteca Municipal, bem como os momentos de convívio no final de cada sessão, ao sabor de chá de limonete e bolinhos, foram cativando um cada vez maior número de indefetíveis das 5as de Leitura, tornando-as incontornáveis na agenda cultural do Concelho.

5as de Leitura Felizes
e Sem Lágrimas

 

Para comemorar o 8.º aniversário deste projeto, nada melhor do que um mês com dose dupla de 5as de Leitura: José Tolentino Mendonça a 9 de novembro e, a 23 do mesmo mês, os consagrados escritores João de Melo e Mário Cláudio, e as editoras Cecília Andrade e Maria do Rosário Pedreira. Ninguém vai querer perder...

Convidados para o aniversário…

(para além de si, claro!)

 

 separador small

No 5º aniversário das «5as de Leitura», assinalado em novembro de 2015, a Divisão de Cultura reuniu, num almoço que teve como mote a recriação da ementa de uma das tertúlias do Grupo Coração, Cabeça e Estômago - tertúlia gastronómica e cultural figueirense, fundada em 1936 por António Augusto Esteves, mais conhecido pelo pseudónimo literário Carlos Sombrio - onde conviveram de mãos dadas, a cultura e a gastronomia local, alguns dos ilustres escritores e pensadores que contribuíram para a construção das tertúlias literárias e culturais que animaram a comunidade figueirense ao longo destes anos.
 
No 6º aniversário da iniciativa literária, o Município d5as de leitura-valter hugo maea Figueira da Foz associou-se à Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, e recebeu, no Centro de Artes e Espectáculos, na passada sexta-feira, 13 novembro, em estreia nacional, a Conferência/concerto “A Portugalidade”, que promove o 75.º aniversário do maestro António Victorino d´Almeida, um dos mais ilustres músicos nacionais, cuja obra é muito vasta e abrange os mais variados géneros musicais, desde a ópera, à musica sinfónica, de câmara, à música para cinema, teatro e fado.
 
“A Portugalidade” decorreu em clima de grande informalidade” permitindo ao Maestro António Victorino d’ Almeida dar asas à sua extraordinária capacidade de improvisador para, a par e passo, ir ilustrando musicalmente ao piano as ideias e os conceitos apresentados no decorrer da conferência.

A acompanhar o maestro e figura central da conferência/concerto, esteve o divulgador musical e seu antigo aluno, Miguel Leite.
Entre ambos estabeleceu-se um “diálogo fluído e natural”, que evocou características intrínsecas da Portugalidade e abordou figuras tão diferentes da Cultura Portuguesa como uma Amália Rodrigues (1920-1999) ou Carlos do Carmo (N. 1939), passando por Carlos Paredes (1925-2004), mas não deixando também de abordar importantes Compositores Portugueses como Frederico de Freitas (1902-1980) ou Joly Braga Santos (1924-1988), entre outros.
Esta conferência /concerto, foi sem dúvida, uma oportunidade para o público figueirense e de concelhos vizinhos poderem usufruir de um momento único, festivo, cheio de vitalidade, oportunidade de exaltação e projeção da verdadeira Arte e Cultura Portuguesas.

pdf Autores que passaram pelas" 5as de leitura"

 

 

 

 

  

 

 

Copyright © 2014 Município da Figueira da Foz | Desenvolvimento WRC | Design Sigyn |