cabedelo
surfsurfespacoondasmares

ptenfrdees
Cultura
Natureza
Desporto
Arte
Natureza
Natureza
Desporto
Internet Marketing Bruidsfotograaf

Exposição " Sporting Clube Figueirense - Cem anos ao serviço do Desporto e da Figueira"

 

Cartaz expo

Até 01 JAN ´19 

Hora: segunda a sexta: 09h30-18h30 | sábados: 14h00 -19h00

Local: Hall Museu e Biblioteca Municipais 

Entrada: Livre

Público-alvo: Público em Geral

 

 

 

Atualizado em 03-12-2018

Visitas: 55

2º Ciclo de Ayurveda

 

46502070 1951728311582671 1027659706836975616 n

15 DEZ 

Fitoterapia Ayurvedica de Inverno

Hora: 15h00

Local: Museu Municipal 

Entrada: Sujeita a inscrição prévia: divulgacao.cultura@cm-figfoz.pt | 927 756 235

Público-alvo: Público em Geral

 

Atualizado em 03-12-2018

Visitas: 50

“O Nosso Património: Perspetivas” | Figueira From The Sky

 

Cartaz EXPO MAr

 

OUT´18 a JAN ´19

Hora:Segunda sexta-feira: 09h00-13h00 /14h00-17h00

Local:Núcleo Museológico do Mar  

Entrada: Gratuita

Público-alvo: Público em Geral

 

 

Em Ano Europeu do Património Cultural, o Núcleo Museológico do Mar acolhe a exposição fotográfica «O Nosso Património: Perspetivas», composta por 10 imagens da autoria de Nuno Vicente (Figueira from the sky) e que nos permitirá conhecer o Património Natural e Cultural do Concelho da Figueira da Foz de uma perspetiva diferente da habitual.

Atualizado em 18-11-2018

Visitas: 280

«Aves no Baixo Mondego II/IV – SILÊNCIO»

 

 Cartaz Segunda Parte pedro baptista

 

Até  JAN ´19

Hora: Quarta a domingo: 10h00-12h30 | 14h00-16h00 

Local: Núcleo Museológico do Sal 

Entrada: Gratuita 

Público-alvo: Público em Geral

 

A exposição de fotografia «Aves no Baixo Mondego II/IV – SILÊNCIO», de Pedro Baptista é a segunda de quatro que o fotógrafo realiza, até agosto de 2019, no espaço museológico. 

A mostra reúne um conjunto de 13 fotografias de aves que têm como habitat ou local de passagem o Baixo Mondego.

edro Baptista diz que “Há um ímpeto estranho que me faz regressar a determinados lugares para desfrutar das aves, para as ver, para as fotografar. Na região do Baixo Mondego há sítios onde me refugio. Descobri que estar ali é ir ao encontro de mim próprio. Comecei por ver nas aves um motivo para fotografar, agora a fotografia é mais um pretexto para as contemplar.”



Atualizado em 03-12-2018

Visitas: 65

"Leques - A Arte da Sedução"

 

 Cartaz Leques 1

 

Até MAI ´19 

Hora:terça a sexta-feira: 09h30 -17h00 | sábados: 14h00-19h00 

Local: Museu Municipal 

Entrada: Gratuita 

Público-alvo: Público em Geral

 

 

No âmbito das comemorações do seu 125º Aniversário, o Museu Municipal Santos Rocha abriu ao público, a  exposição “Leques - A Arte da Sedução”, que, pela primeira vez, traz a público parte do seu diversificado acervo de leques, datados do século XVII ao século XX, de grande interesse histórico-artístico e de diferentes materiais, tipologias, proveniências e gramáticas decorativas.

 

"Há tantos modos de se servir de um leque que se pode distinguir, logo à primeira vista, uma princesa de uma condessa, uma marquesa de uma routurière. Aliás, uma dama sem leque é como um nobre sem espada." (Madame de Stäel)

Atualizado em 12-11-2018

Visitas: 265

"Revisitar Mário Augusto (1885-1941)"

 

2018 08 25 Mário Augusto

 

25 AGO a 31 DEZ

Local: Museu Municipal Santos Rocha - Sala exposições temporárias 2

Entrada: Gratuita 

Público-alvo: Público em Geral

 

 

A menos de um ano de assinalar o seu 125º aniversário e com o objetivo de retomar a ideia fundamental de dar a conhecer aos públicos que visitam o espaço museológico parte das suas coleções, que não estão expostas habitualmente, o Museu Municipal Santos Rocha dá início a um ciclo de mostras com um dos mais relevantes artistas representados no Museu Municipal, Mário Augusto.

O Museu Municipal Santos Rocha expõe assim, pelo período de um ano, 51 obras de Mário Augusto, de um total de 73 que integram a coleção de pintura e desenho do Museu Municipal, numa exposição que revelará, através das obras expostas, as vivências do artista, as suas aprendizagens, o muito que conquistou na sua curta vida.

Os trabalhos em exposição estão cronologicamente situados entre 1911 e 1941 e são elaborados a óleo, pastel, carvão, sépia e sanguínea.

“Reviver Mário Augusto” não se trata de uma exposição antológica, mas sim o reviver da obra do artista alhadense, retirando da reserva da instituição museológica os seus mais notáveis e representativos trabalhos, bem como um interessante conjunto de esboços e estudos, alguns deles como o primeiro passo para trabalhos posteriores elaborados com mestria e precisão.

Atualizado em 29-08-2018

Visitas: 364

Copyright © 2014 Município da Figueira da Foz | Desenvolvimento WRC | Design Sigyn |